independência financeira

Alcançar a independência financeira é sempre um dos grandes objetivos de um investidor quando o assunto é aplicar o seu dinheiro. No entanto, não são todos que chegam lá e os motivos podem ser muitos: falta de planejamento, investimentos errados, e por aí vai.

A verdade é que investir dinheiro em aplicações financeiras é de fato um ótimo caminho para realizar este objetivo, porém, não é tão simples quanto parece. O mercado financeiro esconde diversos desafios e percalços que você deve ficar atento.

É claro que cada pessoa terá um caminho diferente a percorrer. Porém, é muito importante não pular nenhuma das fases que elencamos neste artigo para uma evolução assertiva e mais segura no mercado financeiro. Mas como fazer isso?

É o que mostraremos a seguir. No artigo de hoje, você conhecerá 4 fases fundamentais para o investidor seguir rumo à independência financeira. Então se você compartilha deste mesmo objetivo de milhares de investidores, continue a sua leitura conosco!

O que significa Independência Financeira 

Independência Financeira é o termo destinado à fase de vida em que o indivíduo recebe o suficiente em renda passiva para pagar todos os seus custos de vida. Dessa forma, poderia largar o seu emprego, e viver somente do dinheiro proveniente dos investimentos.

Também é característica da independência financeira que o orçamento do custo de vida não seja retirado do patrimônio. Ou seja, que o investidor consiga pagar todas as suas contas através do valor recebido mensalmente em dividendos, por exemplo, sem precisar mexer no montante total investido. 

Esse termo ficou ainda mais popular com o livro de Robert Kiyosaki, Pai Rico Pai Pobre (1997). No livro, o autor explica como alcançar a independência financeira através dos investimentos através da história de seus dois pais. 

Anos depois (2001), o mesmo autor também lançou o livro “Independência Financeira”, reforçando o uso do termo para uma vida financeiramente livre. Onde você não precisa mais trabalhar por dinheiro, pois todas suas contas são pagas pela renda passiva. 

Mas já que estamos falando tanto desse termo, “renda passiva”, vamos explicar rapidamente o que é.

Renda Passiva

Renda passiva é como chamamos todo tipo de renda que não seja proveniente do seu trabalho. Ou seja, que não dependa de um determinado investimento de tempo e/ou dinheiro da sua parte. 

Um exemplo simples é a renda proveniente dos investimentos, como os Dividendos, os Juros Sob Capital próprio, o dinheiro da valorização do ativo, e muito mais. 

Dito isso, vamos para as 4 fases que você precisa passar caso queira alcançar a independência financeira. 

4 fases para Independência Financeira 

Como já dissemos, é claro que cada investidor terá um caminho diferente e encontrará diferentes oportunidades de acordo com os aportes e percalços que encontrar. No entanto, podemos elencar 4 fases que o investidor percorre para a independência financeira.

São elas:

  1. Seja superavitário
  2. Aprender a Investir bem o seu Dinheiro
  3. Reinvestir os Dividendos
  4. Viver de Renda

Vamos ver abaixo um pouco mais sobre cada uma. 

1) Seja superavitário

Se você deseja alcançar a independência financeira, sem dúvidas a primeira fase deve ser a de gastar menos do que se ganha. Caso possua alguma dívida, é necessário quitá-la antes de investir em razão de, na maioria esmagadora dos casos, os juros das dívidas serem maior do que os juros dos investimentos para Pessoas Físicas. . Essa deve ser uma premissa básica caso você queira viver da renda dos seus investimentos o mais rápido possível: Ganhar mais do que se gasta e, pagando suas dívidas, caso haja

Nessa fase, você tem uma renda mensal, mas não sobra nada do seu dinheiro para os investimentos. Basicamente, você trabalha, recebe, e fica no zero a zero todo mês. Isso acontece muitas vezes porque a nossa renda é igual ou menor do que as dívidas que fazemos ao longo dos dias, várias pessoas alegam não possuir dívidas, mas nunca saem dessa primeira fase porque o patamar de gastos dela é igual ao patamar de ganhos, não sobrando nada no final do mês.

Portanto, nesta primeira fase, é muito importante pagar tudo aquilo que está pendente e, para isso, será preciso enxugar o máximo possível dos seus custos mensais, sempre achando seu ponto de equilíbrio para que possa viver bem hoje e ainda conseguir fazer sobrar dinheiro. Procure reduzir seus gastos, aumentar sua renda, a fim de passar para a próxima fase. 

2) Aprender a Investir bem o seu Dinheiro

Na segunda fase do investidor rumo à independência financeira, você já pagou todas as suas dívidas e conseguiu enxugar os seus gastos mensais. Ou seja, está conseguindo fazer sobrar um dinheirinho mensal que vai ser destinado aos investimentos. 

É nesse momento que você começa a colocar o seu dinheiro para trabalhar para você. Neste caso, a primeira coisa a se fazer é criar uma reserva de emergência. Essa reserva é muito importante para você se sentir seguro caso aconteça alguma coisa com seu emprego atual.

Busque criar uma reserva de no mínimo 6 meses o valor dos seus custos mensais. Caso seu trabalho seja muito instável, sugerimos, para sua maior segurança, montar uma reserva equivalente a 12 meses os seus gastos mensais. 

Mantenha este dinheiro investido em alguma modalidade da renda fixa – que ofereça alguma rentabilidade, com o mínimo de risco e boa liquidez. Recomendamos o Tesouro Selic para este objetivo. 

Não compre títulos pré-fixados para este fim, pois o investidor pode ter prejuízos caso venda antecipadamente, falaremos sobre esse assunto em outro artigo.

Depois da reserva de emergência criada, você poderá começar a destinar este dinheiro que sobra do seu salário mensalmente para investimentos mais arrojados. Um ótimo exemplo é o mercado de ações e fundos imobiliários, muito utilizado pelos investidores que buscam a independência financeira. 

Mas lembre-se que todo investimento envolve diferentes tipos de risco. Nesta fase é crucial buscar conhecimento e informação de qualidade para evitar erros desnecessários. 

3) Reinvestir os Dividendos

Depois de pagar suas dívidas, criar sua reserva de emergência e aprender a investir colocando a mão na massa, é hora de aumentar ainda mais os seus ganhos! O reinvestimento de dividendos é um encurtador de caminho para a independência financeira.

Isso porque através dessa prática, você passa a aplicar o efeito dos juros compostos, que são capazes de multiplicar o seu dinheiro ano após ano. Para isso, tudo que você tem que fazer é investir em ativos que pagam dividendos (ações ou fundos imobiliários, por exemplo), e reinvestir estes valores sempre que pingarem na conta.

Existe um discurso muito conhecido entre investidores iniciantes de que só é bom comprar ativos que pagam dividendos, pois só assim eu consigo reinvesti-los e multiplicar meu patrimônio. 

Isso não é verdade, não há nenhum problema adquirir ações, por exemplo, que não pagam dividendos. Se a empresa é lucrativa, significa que, se não está distribuindo dividendos agora, na verdade está investindo o lucro nela mesma, aumentando assim seu potencial de geração de lucro no futuro, o que fará aumentar os dividendos lá na frente, beneficiando o investidor de duas formas: na valorização da ação durante todo este período de crescimento da empresa e no recebimento de dividendos maiores quando a empresa alcançar uma fase mais madura. 

Resumindo, o investidor consegue alcançar sua independência financeira não somente adquirindo ativos pagadores de dividendos, mas também adquirindo boas empresas com potencial de crescimento.

Veja bem: está certo que você já está recebendo uma certa renda passiva, proveniente dos seus investimentos. Mas essa renda passiva ainda não é suficiente para pagar todos os seus custos, portanto, ainda estando dependente da renda proveniente do seu emprego atual. Ou seja, você ainda não está financeiramente livre! 

Mas através do reinvestimento dos dividendos e na valorização da carteira como um todo, a renda proveniente dos investimentos passará a aumentar cada vez mais, fazendo com que você caminhe mais um passo nas 4 fases de um investidor rumo à independência financeira.

4) Viver de Renda

Aqui está a fase mais aguardada e esperada por todos que almejam alcançar a independência financeira um dia: viver de renda! 

Nessa fase, você já investiu e reinvestiu tanto dinheiro que a renda passiva proveniente dos seus investimentos supera a renda do seu emprego atual.

Dessa forma, você pode optar se deseja continuar trabalhando para aumentar seu patrimônio, se prefere largar o emprego e viver apenas de renda passiva ou se prefere mudar o rumo da sua carreira, lhe dando liberdade para tomar novas decisões profissionais que antes você não poderia correr o risco

Conclusão 

Neste artigo, você viu que é possível alcançar a independência financeira através das 4 fases que o investidor deverá passar: a fase de ser superavitário; fase de aprender a investir corretamente; o reinvestimento de dividendos e, finalmente: viver de renda. 

Nós descrevemos cada uma delas rapidamente e algo se faz comum a todas: adquirir conhecimento para administrar os riscos! Ser financeiramente livre é possível, sim. Mas é preciso dedicação e esforço da sua parte. 

Busque conhecimento sempre para equilibrar os riscos do mercado e conte com plataformas inteligentes para manter tudo organizado. O site meusdividendos.com é um ótimo exemplo de aliado que você pode ter neste processo.

 Faça sua inscrição e comece a acompanhar o seu recebimento de dividendos já.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *